Publicidade

 

 
 15/05/2017    16:08hs

TRIBUNAL 'AMIGO'!

STJD toma decisões diferentes para casos semelhantes e libera árbitro           suspenso para atuar de AAA em jogo do brasileiro

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) é uma corte de justiça onde o que menos se interessa é a lei e sim os interesses políticos. Dependendo desses ‘interesses’ ele podem tomar duas decisões absolutamente diferente para dois casos semelhantes.

Em janeiro de 2016 o ex-árbitro paulista Flávio Rodrigues Guerra foi punido por ter atuado na vitória por 1 a 0 do São Paulo sobre o Figueirense, em partida válida pela terceira fase da Copa São Paulo de Juniores. Guerra cumpria pena desde o dia 27 de novembro de 2015 por um erro cometido na vitória por 2 a 0 do Corinthians sobre o Santos, em 20 de setembro, no Brasileirão. Na ocasião, o árbitro mostrou cartão vermelho ao zagueiro David Braz, do Peixe, por um pênalti cometido por Zeca.

Guerra alegou na ocasião que David Braz foi expulso por reclamação, mas as imagens de televisão mostraram que o árbitro se confundiu na hora de punir o autor da infração.

O erro na escala custou o emprego do coronel Marcos Marinho na presidência da comissão de arbitragem da FPF. Mas a entidade já investigava o

dirigente por suposto favorecimento a um membro de sua equipe que teria cometido um possível caso de assedio sexual contra uma árbitra.

Publicidade

Neste domingo (14), jogaram Palmeiras e Vasco pela primeira rodada do Campeonato Brasileiro de 2017. Um dos integrantes da equipe de arbitragem, o paranaense Paulo Roberto Alves Junior (foto), atuou de árbitro assistente adicional (AAA).

Detalhe: Paulinho foi punido na ultima quinta-feira (11) pelo Pleno do STJD com 30 dias de suspensão pela não realização da partida entre Atlético/PR e Coritiba, clássico válido pela quinta rodada do Campeonato Paranaense deste ano.

Em tese e segundo já ocorrido em casos semelhantes, a CBF substituiria o adicional por um outro do seu estado ou até mesmo de São Paulo caso não houvesse tempo hábil. Mas não se sabe os motivos, a entidade preferiu manter a escala e se cercou com autorização, que pode ser questionada, do STJD, seu braço na justiça desportiva.

Segundo um membro da comissão de arbitragem da CBF, como a punição saiu na sexta-feira (12) e o jogo já era no domingo, o STJD autorizou o inicio do cumprimento da pena para esta segunda-feira (15) o que viabilizou a participação do árbitro na partida.

Vale frisar que, como já comprovado com trocas de e-mails entre seus membros, o STJD, um órgão totalmente custeado pela CBF, profere sua sentenças e decisões conforme os interesses de seu mantenedor.

Apitonacional, compromisso só com a verdade!

Publicidade

 

Copyright © 2009     -     www.apitonacional.com.br ® Todos os direitos reservados