Publicidade

 

  Atualizado dia 25/09/2020   23:57hs

Quadro de Árbitros FIFA 2020


Anderson Daronco

Estado Nascimento CBF FIFA
Rio Grande do Sul 05/01/1981 2008 2015

Histórico: O gaúcho de Santa Maria é casado com Luciane e tem dois filhos, Arthur de 8 anos, e Heitor de 4. Formou-se árbitro aos 18 anos (1999), atuou dois anos como assistente, estreou na série A do Brasileirão em 2011 no jogo entre Coritiba e América-MG e foi

promovido aspirante FIFA em 2014. Conquistou oescudo internacional após 88 partidas pela CBF, sendo 32 delas na Série A, 9 na Copa do Brasil, 33 na Série B, 9 na C e 5 na D.

O professor de educação física e ex-jogador de handebol também está chamando a atenção pelo seu porte atlético. Com 1,88m e 88kg, ele se destaca fisicamente em relação aos outros profissionais de arbitragem. Esta ficando conhecido como  'Robocop do apito'.

Nesta temporada atuou na semifinal entre Atlético Mineiro 4 x 1 Flamengo, Neste ano foi testado nos dois clássicos gaúchos consecutivos (Ca-Ju) e alguns dias depois, o seu primeiro Gre-nal (402 da história dos dois clubes). Estas atuações abriram caminho para a FIFA.

Média: Sua média no ultimo brasileiro foi de 33,6 faltas, 4,9 cartões amarelos e 0,1 vermelhos por partida.

No final de 2014 esteve no Paraguai participando de curso teórico e prático com outros profissionais FIFA.

Foi eleito o melhor árbitro do Campeonato Brasileiro 2015, mas curiosamente nunca foi eleito como o melhor do Gauchão.

Esta convocado para participar da Copa América de 2019, que será disputada de 14 de junho a 7 de julho no Brasil e participa do processo preparatório para a Copa do Mundo de 2022.


Publicidade


Bráulio da Silva Machado

Estado Nascimento CBF FIFA
Santa Catarina 18/05/1979 2012 2019

Histórico: Bráulio da Silva Machado nasceu em Laguna-SC, tem dois irmãos (Daniel Machado e Djaifer Fernandes). Filho de pai catarinense e mãe gaúcha, reside atualmente em Imbituba/SC. Bráulio perdeu o pai, Jorge Luiz Machado, ainda garotinho (tinha quatro anos) em um

acidente de moto. Por conta disso teve que mudar de cidade na companhia da mãe e do irmão, que ainda estava por nascer, em busca do amparo familiar.

Educador físico - formado na Universidade do Sul de Santa Catarina – UNISUL, e pós graduado no Centro Universitário Leonardo da Vinci - trabalha no Centro Educacional Porto Seguro onde começou a sua história com a arbitragem formando-se árbitro em 2009 na Escola de arbitragem Gilberto Nahas da Federação Catarinense de Futebol - FCF.

No ano seguinte, entrou na federação. Em 2011, estreou na elite do Campeonato Catarinense. Promovido à CBF em 2012, fez sua estreia na Série C do Brasileiro na partida Santo André (SP) 1x1 Tupi (MG). No ano seguinte (2013) estreou na Copa do Brasil na partida entre Brasil de Pelotas (RS) 0x1 Atlético Paranaense (PR) e na série B no confronto Paraná (PR) 0x0 São Caetano (SP). Finalmente em 2014 fez sua estreia na Série A do Brasileiro no clássico local Criciúma (SC) 1x0 Figueirense (SC). Atuou ainda em outras quatro partidas naquele ano.

Em 2014 apitou a primeira partida da final do estadual catarinense. Recebeu também o Título de Cidadão Honorário em 2014, pelas relevantes atividades realizadas em favor do município de Imbituba.

Bráulio Foi promovido aspirante FIFA em 2015 e ao quadro internacional em 2019 se tornando o árbitro mais velho do país a se tornar internacional passando a ocupar a vaga do ex-árbitro Sandro Meira Ricci que encerrou a carreira após a Copa do Mundo da Rússia.

Antes, já havia sido aprovado por dois anos consecutivos nos testes para a entidade máxima do futebol, mas não entrou no quadro.

Bráulio é surfista, cantor (tem vergonha de mostrar sua habilidade em publico), joga tênis, mergulha em alto mar e joga futebol com os amigos. É casado desde o final do ano passado (2014) com a cirurgiã dentista Priscila Zeferino com quem tem uma filha (Laura).

Foi o primeiro arbitro a apitar com o uso do VAR – árbitro de vídeo, em Santa Catarina na final de 2019 entre Chapecoense x Figueirense, e o primeiro VAR a atuar em competições nacionais, em partida válida pelas oitavas de final da Copa do Brasil, entre Santos x Cruzeiro.

Bráulio integra a lista dos árbitros que mais realizaram expulsões na edição de 2018 do Campeonato Brasileiro. Esse número é muito impulsionado graças a uma partida envolvendo o Palmeiras, já que no duelo entre o Verdão e o Flamengo no primeiro turno, o árbitro mostrou seis cartões vermelhos (três para cada lado) após uma briga nos acréscimos.

Segundo catarinense na FIFA
Depois do precursor Dalmo Bozzano, que apitou entre as décadas de 1970 e 1990, Bráulio é o segundo catarinense a figurar no quadro FIFA.

Apitou as decisões estadual de 2018 e 2019.


Publicidade


Bruno Arleu de Araújo

Estado Nascimento FERJ CBF FIFA
Rio de Janeiro 14/02/1983 2009 2012 2020

Histórico: Carioca, cabo da Policia Militar do Estado do Rio de Janeiro, formou-se árbitro pela FERJ em 2009, foi promovido ao quadro da CBF em 2012, atuou em 4 partidas pela Série A do campeonato brasileiro de 2017, 10 em 2018, 17 em 2019 e três partidas em 2020 até sexta

rodada.

Em setembro de 2020 ficou concentrado na Argentina a disposição da Conmebol para atuar com exclusividades em jogos da Copa Libertadores, por conta da pandemia do coronavírus, porém foi contaminado pelo Covid-19 e foi afastado conforme protocolo da competição.

Atuou em 46 partidas da Série A do Campeonato Brasileiro, ate a 12ª rodada de 2020, onde aplicou 210 cartões amarelos, 8 vermelhos, sendo quatro direto e assinalou 16 penalidades.

Atuou ainda em duas partidas da Copa Libertadores onde aplicou 9 cartões amarelos e uma da Copa Sul-americana onde aplicou 6 cartões amarelo.

*Atualizado 25/09/2010

Jogos na CBF até 2020

Copa do Brasil:  - Série A: 46 -  Série B:  - Série C:  - Série D:   Total: 46


Publicidade


Flávio Rodrigues de Souza

Estado Nascimento FPF CBF FIFA
São Paulo 29/07/1980 2003 2010 2020

Histórico: Nasceu em São Paulo, mas mora no litoral paulista (Ubatuba). Formou-se árbitro em 2003 pela Federação Paulista de Futebol e é representante comercial.

Foi o árbitro da final da Série C do Campeonato Brasileiro

de 2019 entre Sampaio Corrêa e Náutico.  Atuou em 58 partidas da Série A do Campeonato Brasileiro, ate a 12ª rodada de 2020, onde aplicou 235 cartões amarelos, 17 vermelhos, sendo sete direto e assinalou 16 penalidades.

Atuou ainda em uma partida da Copa Sul-americana onde aplicou 5 cartões amarelos e 1 vermelho.

Jogos na CBF até 2020

Copa do Brasil:  - Série A: 58 -  Série B: 26  - Série C:  - Série D:   Total: 84

Publicidade


Luiz Flávio de Oliveira

Estado Nascimento CBF FIFA
São Paulo 13/06/1977 2001 2015

Histórico: Professor de educação física, formou-se árbitro em 1999, Ingressou na CBF em 2001 e treze anos depois chegou a FIFA, ocupando a vaga de seu irmão Paulo César de Oliveira que virou comentarista da Rede Globo em meados de 2014. Chega no quadro internacional com 143

partidas nacionais, sendo 67 delas na Série A do Brasileiro.

Fora da arbitragem é comerciante, proprietário de uma lanchonete de Açaí em Cruzeiro/SP, cidade onde nasceu e reside com a esposa Magna Nunes de Oliveira e o filho Luiz Flávio de Oliveira Junior.

Apitou a final do paulista em 2011 entre Santos e Corinthians. Como Aspirante-FIFA foi sorteado para atuar na final da Copa do Brasil 2014, no clássico Cruzeiro x Atlético Mineiro.  Um ano antes, em 2013, atuou na primeira partida final do campeonato mineiro.

Média: Sua média no ultimo brasileiro foi de 29,7 faltas, 4,4 cartões amarelos e 0,3 vermelhos por partida.

No final de 2014 esteve no Paraguai participando de curso teórico e prático com outros profissionais FIFA.

Pessoa educada e de fino trato, enfrentou problemas na parte física sendo substituído em pelo menos três partidas na carreira. Felizmente corrigiu o problema com a intervenção do conceituado Dr. Turíbio Leite de Barros, mestre e doutor em fisiologia do exercício.


Publicidade


Rafael Traci

Estado Nascimento FPF CBF FIFA
Santa Catarina 02/09/1981 2006 2013 2020

Histórico: Professor educação física com pós graduaação em treinamento desportivo com ênfase em futebol. É corretor de seguros, nasceu em Londrina no Paraná, mas mora atualmente em Joinville/SC. Formou-se árbitro em 2006 pela Federação Paranaense de Futebol, ingressou no

quadro da CBF em 2013 fazendo sua estréia no apito em 2016.

Venceu em 2018 o prêmio "Apito de Ouro", modalidade criada pelos canais "ESPN" para escolher o melhor árbitro do Campeonato Brasileiro

Traci foi eleito no final do ano passado o melhor árbitro do Brasileirão no prêmio Bola de Prata dos canais ESPN. O bola de prata do apito comandou 18 partidas no ultimo Brasileirão e não economizou cartões. Foram 94 amarelos e três vermelhos (um deles por duplo cartão amarelo).

No inicio de 2019 passou a atuar pela Federação Catarinense de Futebol, segundo ele, em busca de melhor oportunidades, tendo em vista que se sentia pouco utilizado no Paraná. A aposta deu certo e no final da temporada foi indicado ao quadro internacional.

Atuou em 61 partidas da Série A do Campeonato Brasileiro, até a 12ª rodada de 2020, onde aplicou 312 cartões amarelos, 10 vermelhos, sendo quatro direto e assinalou 13 penalidades.

Atuou ainda em uma partida da Copa Sul-americana onde aplicou 5 cartões amarelos e 1 vermelho.

Jogos na CBF até 2019

Copa do Brasil:  - Série A: 61 -  Série B:21 - Série C:  - Série D:   Total: 82


Publicidade


Raphael Claus

Estado Nascimento FPF CBF FIFA
São Paulo 06/09/1979 2002 2006 2015

Histórico: É paulista de Santa Bárbara D'Oeste, mas mora na no bairro da Saúde em São Paulo. É formado em Educação Física pela Unimep (Piracicaba) e Casado com a Carol com quem tem três filhos, Sofia, Lucas e Mateo.

Curiosamente nunca tinha apitado uma partida de futebol  antes de se formar árbitro em 2002, por incentivo do amigo e árbitro Vinicius Furlan, pois foi jogador de futebol (base) e futsal dos nove aos vinte anos.

Com suas atuações foi galgando espaço até ser considerado o melhor árbitro paulista de 2011, quando ganhou premio de R$ 100 mil reais. Árbitro de grandes jogos, mas demorou a chegar na FIFA.  

A história dele na competição começou em 20 de janeiro de 2010, quando o profissional apitou um empate em 2 a 2 entre Oeste e Monte Azul, em Itápolis. Seu primeiro clássico foi no dia 20 de fevereiro de 2011. Na oportunidade, o Corinthians bateu o Santos por 3 a 1, no Pacaembu.

Em 2014 apitou a final entre Santos x Ituano, com a equipe de Itu sagrando se campeã. Desde então, Claus liderou a arbitragem em mais quatro finais, 2016, 2017, 2019 e 2020. Ele também venceu quatro vezes o prêmio de melhor árbitro do Estadual, em 2011, 2016, 2019 e 2020.

Estreou em 2012 na série A do Brasileiro.

Se o ano iniciou bem, as oportunidades o levaram primeiramente a aspirante e depois à FIFA, após 68 partidas nacionais, sendo 35 delas na Série A, 8 na Copa do Brasil, 17 pela B, 2 na C e 6 na D.

Para fechar o ano, em dezembro, participou de um curso para os novos árbitros internacionais na Conmebol. Seu ídolo e mentor no apito é o ex-árbitro Fifa e atual membro da Comissão de Arbitragem da Conmebol, Wilson Luiz Seneme.

Média: Sua média no ultimo brasileiro foi de 30,4 faltas, 6,1 cartões amarelos e 0,2 vermelhos por partida.

Carreira

De família em que pai e irmão foram atletas profissionais, o pai Antônio Carlos Claus (jogou na primeira equipe profissional do União Barbarense em 1964 ao lado do Zé Boquinha que hoje é comentarista da ESPN) e irmão Niltinho Claus (centroavante e artilheiro do XV de Jaú no acesso de 1995, participou do acesso do União Barbarense em 1998 e também se destacou no Deportivo Cúcuta da Colômbia), Raphael Claus foi jogador de futebol até os 20 anos de idade. Em 2002, participou do curso de formação em arbitragem da Federação Paulista de Futebol sem ter experiência anterior de árbitro em jogos amadores.

A primeira partida na principal divisão do Campeonato Paulista foi em 2010: Oeste de Itápolis 2 x 2 Monte Azul. Já a primeira final de competição aconteceu em abril de 2014, na decisão do Campeonato Paulista entre Santos e Ituano.

Em maio de 2014, a Comissão Nacional de Arbitragem da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) credenciou Claus a aspirante do quadro de arbitragem da FIFA. Meses depois, em outubro do mesmo ano, foi confirmado como árbitro internacional ao lado de Luiz Flavio de oliveira. Eles substituíram Paulo César de Oliveira e Wilson Luiz Seneme, árbitros paulistas que se aposentaram naquele ano. Esteve como VAR na Final Histórica da Libertadores de 2018 em Madrid na Espanha entre River Plate e Boca Juniors. Apitou a Semi Final da Libertadores entre River Plate e Boca Juniors em 2019. Apitou ainda a Final da Copa Sul-americana 2019 entre Colon e Independiente Del Valle.

Apitou 4 partidas no Mundial Sub 20 na Polônia 2019, incluindo a Semi Final entre Itália e Ucrânia. Apitou a Final do Paulistão 2019 entre São Paulo e Corinthians e a Final da Copa do Brasil 2019 entre Athletico-PR e Internacional.

Tem sido um dos árbitros mais premiados da história do Futebol, no Campeonato Paulista esteve entre os melhores nos anos de 2011, 2012, 2016, 2017 e 2019 no Campeonato Brasileiro foi o melhor consecutivamente nos anos de 2016, 2017 e 2018.

Prêmios

Melhor Árbitro do Campeonato Paulista de 2011.
Melhor Árbitro do Campeonato Paulista de 2016.
Melhor Árbitro do Campeonato Brasileiro de 2016.
Melhor Árbitro do Campeonato Brasileiro de 2016 pela Rede de TV Fox Sports.
Melhor Árbitro do Campeonato Brasileiro de 2017.
Melhor Árbitro do Campeonato Brasileiro de 2017 pela Rede de TV Fox Sports.
Profissional do Ano em 2011 pela revista FAMA.
Esportista do Ano em 2011 pelo Rotary Club Progresso.
Herói Barbarense pelos alunos do SESI de Santa Bárbara d’Oeste.
Melhor Árbitro do Campeonato Brasileiro de 2018.
Melhor Árbitro do Campeonato Brasileiro 2018 pela Rede de TV Fox Sports.
Melhor Árbitro de 2018 e 2019 no Pesquisão da UOL feita com 106 jogadores dos 20 clubes da Série A do Brasileirão.
Melhor Árbitro do Campeonato Paulista de 2019.

Partidas Internacionais

Copa do Mundo FIFA Sub-20 Polônia 2019
México 1 x 2 Itália, Senegal 0 x 0 Polônia, França 2 x 3 Estados Unidos, Ucrânia 1 x 0 Itália.

Copa América Brasil 2019
Chile 0 x 1 Uruguai.

Campeonato Sul Americano Sub-20 Chile 2019
Uruguai 3 x 1 Equador, Peru 1 x 3 Equador, Uruguai 1 x 0 Paraguai.

Campeonato Sul Americano Sub-17 Chile 2017
Uruguai 0 x 1 Equador, Colômbia 2 x 3 Bolívia, Chile 1 x 0 Colômbia.

Campeonato Sul Americano Sub-15 Colômbia 2015
Colômbia 4 x 2 Paraguai, Argentina Argentina 3 x 0 Equador.

Copa Libertadores da América 2019
Godoy Cruz 0 x 0 Olímpia, Olímpia 0 x 1 Sporting Cristal, River Plate 2 x 0 Boca Juniors.

Copa Libertadores da América 2018
Guaraní 6 x 0 Carabobo, Atlético Tucumán 0 x 2 Libertad, Cruzeiro 0 x 0 Vasco da Gama, Atlético Nacional 4 x 1 Bolívar.

Copa Libertadores da América 2017
River Plate 1 x 2 Independiente Medellín.

Copa Libertadores da América 2016
Huracán 4 x 2 Sporting Cristal.

Copa Sul-Americana 2019
Once Caldas 0 x 2 Deportivo Santaní, Independiente 4 x 1 Binacional, Botafogo 0 x 1 Atlético Mineiro, Independiente Del Valle 3 x 1 Colón.

Copa Sul-Americana 2018
Caracas 0 x 1 Everton, Independiente Medellínn 3 x 1 Sol de América, San Lorenzo 3 x 1 Nacional, Millonarios (3) 0 x (5) Santa Fé, Defesa y Justicia 3 x 1 Junior Barranquilla.

Copa Sul-Americana 2017
Estudiantes de Caracas 2 x 3 Sol América, Sportivo Luqueño 2 x 1 Deportivo Cali, Deportes Iquique 1 x 2 Independiente, Estudiantes 0 x 1 Nacional, Libertad 1 x 0 Racing.

Copa Sul-Americana 2016
Sportivo Luqueño 0 x 0 Peñarol, Junior Barranquilla 1 x 1 Blooming.

Copa Sul-Americana 2015
LDU Loja 0 x 0 Santa, Junior Barranquilla 0 x 2 Deportes Tolima.


Publicidade


Rodolpho Toski Marques

Estado Nascimento FPF CBF FIFA
Paraná 05/04/1987 2006 2012 2017
Histórico: Mora em Campina Grande do Sul/PR, tem 28 anos, trabalha na secretaria de Assuntos Jurídicos da prefeitura de Quatro Barras e atualmente cursa o quarto ano de direito na Faculdade Estácio que tem um polo em Curitiba – é formado em administração e processos gerenciais.

Filho do fotógrafo de campo Ademar, o conhecido “gaúcho”, Rodolpho começou apitar ainda na adolescência. “Aos 13 anos de idade tentei jogar futebol, mas meu pai me falou que eu não teria chances de ser um grande jogador e que a única opção seria a arbitragem. Logo, me presenteou com um apito e um livro de regras e uma semana depois me mandou apitar um jogo no Santa Mônica, depois disso, mesmo muito novo todos viram que eu tinha um certo potencial”.

Por incentivo do pai, ele começou a apitar jogos infantis e campeonatos amadores. Aos 16, ingressou no Curso de Arbitragem da Federação Paranaense de Futebol e aos 17, já formado, atuava em campeonatos pela federação, em partidas do Sub-15 e juvenis. Sua estreia profissional veio aos 18 anos, quando apitou o jogo entre Nacional de Rolândia e Pato Branco.

Aos 19, Rodolpho já ingressava na arbitragem de jogos da 1ª Divisão do Campeonato Paranaense. Em 2011 foi convidado para um teste de ingresso na CBF, que se consolidou um ano depois. De lá para cá, sua carreira decolou. Passou da 3ª Divisão do Campeonato Brasileiro para estrear, em 2014, na arbitragem da Copa do Brasil e na 1ª Divisão do Brasileiro. Neste mesmo ano foi eleito o melhor árbitro do Campeonato Paranaense.

Em 2015 estreou na série A do Campeonato Brasileiro na partida entre Palmeiras e Internacional. Apitou as quartas de final pela Copa do Brasil entre Atlético Mineiro e Figueirense, e realizou sua primeira participação no Maracanã na disputa entre Flamengo e Brasil de Pelotas. Também em 2015 foi eleito o melhor juiz do Campeonato Brasileiro da 2ª Divisão.  

Fã de Heber Lopes e Paulo César Oliveira, o quatrobarrense diz ser contrario ao estilo de arbitragem brasileira de marcar muitas faltas. De forma arrogante, se intitula o melhor do Estado para substituir nomes com Heber Lopes e Evandro Roman no quadro da FIFA.

Foi promovido aspirante FIFA em 2016 tendo apitado apenas cinco jogos da Série A do Campeonato Brasileiro. Em 2016 apitou no total cinco jogos da Copa do Brasil, nove da série A, quatro da série B, duas da série C, duas da série D e uma do Sub-17.

Em média apita 30.2 faltas e distribui 5.8 cartões amarelos por partida.


Publicidade


Wagner do Nascimento Magalhães

Estado Nascimento FERJ CBF Promovido
Rio de Janeiro 22/06/1979 1998 2008 2017

Histórico: É de São João do Meriti/RJ, administrador de empresas, formou-se árbitro em 2001. Apitou seu primeiro clássico em 2012 que também veio a ser a decisão da Taça Rio daquele ano (Botafogo 3x1 Vasco). Foi eleito o melhor

árbitro do Campeonato Carioca de 2013 e apitou a final de 2015 entre Botafogo e Vasco da Gama.

Apesar da final, seu nome foi o que mais repercutiu este ano e não foi de forma positiva. Entre as sete partidas do Estadual em que ele esteve presente, duas chamaram a atenção. Na primeira, entre Madureira e Flamengo, pela 6ª rodada, a arbitragem validou um gol inexistente para o Rubro-negro que influenciou no resultado (1 a 1). Mas o jogo em que mais polemizou foi o Fla-Flu da 14ª rodada, quando expulsou Fred após o atacante sofrer falta de Anderson Pico. O erro desencadeou o famoso desabafo em que o atacante tricolor chamou de Índio de “da casa” e ainda afirmou o Campeonato Carioca precisava acabar.

Apesar de ser o melhor da fraca arbitragem carioca - talvez não seja melhor "dentro de campo" do que Grazianni Maciel -, é árbitro comum, foi promovido por falta de opções e não deve ganhar nova promoção a não ser por política.

Em média apita 29,5 faltas e distribui 5.9 cartões amarelos por partida.


Publicidade


Wilton Pereira Sampaio

Estado Data de Nascimento CBF FIFA
Goiás

21/12/1981

2003 2013
Histórico: Nasceu na cidade de Teresina-GO. É professor de educação física. Foi promovido a ASP-FIFA em 2010 e 2011 foi considerando um dos melhores da temporada e forte candidato ao quadro da FIFA, mas a política falou mais alto sendo preterido por Sandro Meira Ricci em 2011 e Francisco Carlos do Nascimento no ano seguinte.

Para justificar sua entrada na FIFA no seu pior momento, foi considerado o melhor do Brasil em 2012 pela Comissão de Arbitragem presidida pelo Coronel do apito (Aristeu Tavares). Mudou de Federação, trocou Brasília por Goiás e desaprendeu a apitar. Teve um ano abaixo da critica com erros atrás de erros tendo inclusive decidindo a Copa do Brasil de 2012 em favor do Palmeiras quando cometeu erros irreparáveis contra o Coritiba na primeira partida disputada na Arena Barueri/SP.

Quando era o melhor aspirante do quadro não foi promovido, mas bastou trabalhar melhor politicamente para vir a promoção à FIFA no inicio de 2013 com 53 partidas na Série A, mesmo não tendo recuperado a velha e boa forma. Tem 178 partidas pela CBF no currículo, mas precisa melhorar e muito se quiser alçar vôos maiores. A seu favor a discrição e o excelente  preparo físico. Só não chegou antes por conta do ex-presidente Armando Marques que o achava "baixinho" demais para a função.

Média: Sua média é a das mais altas, no ultimo brasileiro foi de 34,7 faltas, 5,3 cartões amarelos e 0,5 vermelho por partida.

Teve atuação brilhante no Sul-americano Sub-15 de 2013 disputado na Bolívia onde apitou três partidas sendo uma delas a final do torneio. Esta selecionado para Sul-Americano Sub-20 2015 que será disputado entre final de janeiro e inicio de fevereiro no Uruguai.


Fechar

Publicidade

Copyright © 2009 - www.apitonacional.com.br ® Todos os direitos reservados

Publicidade